História do Feng Shui

7c9713c3-934e-4116-b60c-4d1fb3b5c522

Os chineses sempre foram muito cuidadosos ao escolher um local para estabelecer uma vila, uma cidade ou uma capital. Um local bem escolhido poderia trazer prosperidade, enquanto uma escolha errada poderia trazer fome e miséria. A responsabilidade pela escolha de um local auspicioso pesava nos ombros do homem que possuía os conhecimentos necessários para realizar essa difícil tarefa. Experiências foram passadas de geração em geração, estabelecendo o que hoje chamamos de “Feng Shui”, ou mais corretamente “Kan Yu”.Conquistar a natureza através de conhecimentos científicos faz parte da filosofia do Oriente, onde as pessoas se consideram parte do Universo em que vivem. Por essa razão, o homem deveria tentar estar em harmonia com a Natureza. Feng Shui é simplesmente um estudo do meio ambiente. Se um praticante de Feng Shui se desvia do processo da criação da harmonia do meio ambiente com a natureza, ele não é um genuíno Mestre de Feng Shui. De fato, “O Livro dos Ritos”, antigo livro de Feng Shui, escrito por Kuo Po (300 anos D.C.), enfatizava a preservação do meio ambiente. Ele aconselhava o povo a não ferir os Dragões (montanhas), para evitar desastres.

Todos os Mestres de Feng Shui da Dinastia Tang ensinavam que uma construção, baseada nos princípios de estruturação harmônica dos campos energéticos do Universo, apresentava bom Feng Shui. Assim, Feng Shui é o estudo que nos ensina a forma como criar um bonito e harmonioso ambiente.

Os mestres de Feng Shui da antigüidade, usando o compasso Luo Pan para medir a qualidade do terreno.Os Mestres de Feng Shui da Antigüidade eram muito reservados. Eles não ensinavam a seus discípulos tudo o que sabiam. Muitos Mestres guardavam segredos até os últimos momentos, quando se encontravam muito velhos e doentes. Perdeu-se assim, nesse tempo, uma grande quantidade de valiosos conhecimentos. Na Dinastia Tang havia mais de 120 Escolas de Feng Shui e nenhuma era possuidora dos verdadeiros segredos do Feng Shui.Na Dinastia Qing, um estudioso redescobriu os segredos do Feng Shui e apresentou suas idéias no seu famoso livro “Master Zhen’s Space and Time Feng Shui Handbook” – “Espaço e Tempo, o Livro do Mestre Zen”. Esse livro desencadeou diversos ataques provocados por ciúmes. ( Os conteúdos desse livro e muitos outros conceitos, serão analisados no curso de Feng Shui – Nível Avançado)Tradução de textos do Mestre Joseph Yu:Não se admite um investimento imobiliário na China, sem considerar as recomendações do Feng Shui. A expansão do comércio ajudou muito a difusão dessa técnica também no Ocidente, e relacionamos hoje, uma multiplicidade de empresas famosas que buscaram o Feng Shui no desenvolvimento de seus projetos, entre as quais, destacam-se: Banco da China, Hong Kong Bank, Shangai Bank, Hyat Hotel (Singapura), Marks & Spencer (Londres) e, nos Estados Unidos, Citybank, Chase Manhattan, Orange (telefonia celular), Donald Trump, Morgan Trust Bank, Virgin (venda de discos), Wall Street Journal e outros.A Escola de Feng Shui Tradicional chinesa não se vincula a nenhuma religião, tratando apenas da questão energética. Inicialmente utilizada para localizar e direcionar túmulos, foi aos poucos, sendo aplicada para a localização de palácios e templos e ,mais tarde, também para todos os tipos de construção e estendida a outras aplicações.A Escola Tradicional de Feng Shui abrange a Escola da Forma, que trata da análise do mundo físico e suas relações com o cosmológico, e a Escola da Bússola que trata do desenvolvimento de cálculos e mapeamentos a partir de direções magnéticas, com o auxílio da bússola e do compasso Lo Pan. Nesta última, o I Ching, a astronomia e a astrologia, o fator tempo e o calendário, assim como os diferentes padrões da energia cósmica são considerados em sintonia com os Elementos da natureza, relacionando formas, cores órgãos, números etc.Existe ainda uma Escola Moderna, criada pelo Mestre Lin Yun nos anos 60, chamada de Escola Black Sect, que passa a valorizar elementos religiosos na aplicação do Feng Shui. A Escola Black Sect aplica uma Mandala, baseada na Mandala da Escola Tradicional Chinesa. Sua utilização é feita a partir da porta de entrada do imóvel. Essa Escola ensina um método simplificado que favoreceu muito a difusão do Feng Shui no Ocidente.

 Os Princípios do Feng Shui

Os princípios do Feng Shui são fruto da observação de fenômenos naturais e experiências praticadas ao longo de milênios. A compreensão do “Chi”, ou seja, a Energia Vital que impulsiona a vida, é a chave para a compreensão e prática do Feng Shui.O estudo da forma, que nos ensina a importância do poder energético da forma, utilizando o simbolismo dos Cinco Animais Sagrados; o conhecimento do Princípio da Polaridade Yin e Yang e o estudo dos Padrões de Classificação da Energia ou Cinco Elementos: Metal, Água, Madeira, Fogo e Terra são a base para o estudo de Feng Shui, seja qual for a linha de aplicação prática que se pretenda seguir.

 

No 3º milênio antes de Cristo, os chineses formularam um modelo de representação para a compreensão da mutação, que partia de uma linha inteira e de uma linha partida. Estas representam o Criativo e o Receptivo, o Sol e a Lua, o Céu e a Terra, o Dia e a Noite, a atividade e o Repouso e todos os opostos que em tudo e em toda parte estão manifestos. Cada trigrama se combina com ele próprio e com todos os outros, criando os 64 tipos de energia ou hexagramas do I Ching.

 

O ser humano é formado por dois impulsos: uma energia dinamizadora, intensa e rígida, sendo a nossa capacidade de caminhar e seguir com confiança, como uma força de impacto e uma suave capacidade receptiva de não resistir, e não resistindo, propiciar aquilo que a resistência não pode propiciar.”Gustavo Corrêa Pinto